Paulistenses Juntos com Paulo

“Estamos com Paulo Fernando”, dizem os populares
Paulistenses Juntos com Paulo
O pré-candidato a vereador do Paulista Paulo Fernando (PDT-PE) visitou, no último sábado (06/08), os comerciantes e moradores do bairro do Janga para ouvir as demandas do local e apresentar o seu plano de governo. Assim como em outros encontros com a população, Paulo foi bem recepcionado e ouviu mensagens de apoio a sua candidatura. “Estamos juntos com Paulo Fernando”, diziam os populares.

Paulo agradece a todos os paulistenses pela confiança. “Garanto honrar cada voto de confiança que recebo. Sou grato a todos”, ressalta Paulo Fernando.

Compartilhe:

Juventude unida com Paulo

O pré-candidato a vereador do Paulista Paulo Fernando (PDT-PE) esteve reunido com integrantes da juventude do Partido Democrático Trabalhista com a finalidade de debater e colocar em prática projetos necessários para o desenvolvimento social dos jovens.

No encontro, foi dialogado sobre educação, emprego, esportes, ações contra o tráfico de drogas e a inserção da juventude no meio político.

Compartilhe:

Paulo Fernando sempre inovando

Paulo Fernando sempre inovandoCom o intuito de criar projetos que favoreçam o desenvolvimento social da juventude, o pré-candidato a vereador do Paulista Paulo Fernando (PDT-PE) tem como um dos pontos do seu governo, se eleito, criar o parlamento jovem.

De acordo com Paulo, os jovens precisam de incentivos, principalmente, no que se refere a educação, esportes e empregos. Paulo ressalta que a juventude unida será sempre mais forte.

Compartilhe:

A máquina do tempo de Paulo Fernando

Conheça a história política e social do pré-candidato a vereador do Paulista
A máquina do tempo de Paulo Fernando
Na reta final para as eleições municipais 2016, apresentamos para você, a partir desta segunda-feira (08/08), os principais fatos que marcaram a trajetória política e social do pré-candidato a vereador do Paulista Paulo Fernando (PDT-PE).

Paulo tem uma história de luta, disposição e coragem – qualidades que o tornaram o concorrente de maior visibilidade nos municípios que compõem o Litoral Norte de Pernambuco.

O pedetista tem o apoio de amigos e parceiros para que a sua candidatura seja um sucesso. www.juntoscompaulo.com.br

Compartilhe:

Um dia especial…

Paulo Fernando oficializa a candidatura e concorrerá as eleições 2016. Paulo disputará o cargo de vereador em Paulista pelo PDT-PE. A convenção ocorreu na noite da última quarta-feira (03/08), na Vila Torres Galvão, com a presença de vários amigos e familiares.

Compartilhe:

Paulo Fernando convida

PDT de Paulista realiza sua convenção na quarta-feiraVocê está convidado (a) à participar da convenção municipal do PDT em Paulista. O evento será no colégio Anita Gonçalves, nesta quarta-feira (03/08), às 17h. Venha conhecer os candidatos a prefeito, vice-prefeito e vereadores, que concorrerão às eleições 2016.

Compartilhe:

Skatistas Juntos com Paulo

Skatistas Juntos com PauloCom a finalidade de valorizar os esportes radicais e incentivar os atletas, o pré-candidato a vereador do Paulista Paulo Fernando (PDT-PE) tem como um dos pontos do seu governo, se eleito, criar espaços públicos para a prática de esportes no município.

De acordo com Paulo, o município de Paulista não oferece estrutura para os atletas.

Compartilhe:

Por uma juventude capacitada

O município de Paulista será palco de uma importante reunião com toda militância jovem do PDT.
Por uma juventude capacitada
Com a finalidade de debater e colocar em prática projetos importantes na educação e para juventude, o pré-candidato a vereador do Paulista Paulo Fernando (PDT) visitou o presidente do Movimento Estudantil do Partido Democrático Trabalhista, Antônio Carlos. Na reunião, ficou combinado uma ação para reunir toda a militância jovem do partido em Paulista.

Compartilhe:

Nota de falecimento

Marcio SampaioO pré-candidato a vereador do Paulista Paulo Fernando (PDT) recebeu com muito pesar, na tarde da última sexta-feira (29/07), o falecimento do amigo Márcio Sampaio, ex-diretor da Secretaria de Finanças do Paulista na gestão do ex-prefeito Antônio Speck.

Márcio foi vítima de um câncer “Márcio era meu amigo, estávamos todos torcendo por sua recuperação. Peço aos amigos nesse momento uma oração, e que Deus conforte o coração de todos da sua família, e os nossos (seus amigos) que te queríamos bem. Um homem cheio de energia, bastante democrático, gostava de ajudar as pessoas e amava Paulista”, disse Paulo.

Compartilhe:

Faça parte desta campanha

Faça parte desta campanhaVamos juntos mudar a situação da nossa cidade. Não reeleja os vereadores e nem o prefeito. Rumo a mudança. Paulista precisa de todos nós. Eleições municipais 2016 está chegando!

Compartilhe:

Casarão dos Lundgren, o misterioso cartão-postal da cidade do Paulista será aberto ao público


O casarão dos Lundgren, no Centro do Paulista, será transformado em instituto sobre a indústria nordestina. A informação é de Nilson Lundgren, 79, neto do líder da família instalada no município no início do século 20, mas ainda não há previsão de conclusão ou abertura ao público.

A casa com tijolos avermelhados aparentes é, para muitos, o coração da cidade. O imóvel teve parte construída há mais de três séculos, como um engenho de cana-de-açúcar, e foi concluído em 1918, em obra da família Lundgren, até hoje proprietária da mansão que carrega a história da urbe e dos bairros fundados no seu entorno.

Logo na entrada está escrito no tapete “casa-grande”, um lembrete que a estrutura já fez parte do Engenho Paulista, ainda que a família afirme nunca ter possuído um. Na casa, habitavam Herman Lundgren, sueco de uma família sem muitas posses que veio como imigrante para o Brasil, a esposa Elizabeth Lundgren, professora dinamarquesa, e os cinco filhos do casal: Herman Júnior, Frederico, Arthur, Alberto e Anita. O casarão ficava em torno das duas fábricas têxteis da família. “A fábrica que era responsável pela fiação e tecelagem dos tecidos ficava localizada onde hoje está o shopping novo da cidade (North Way). Inclusive, ainda tem uma chaminé no terreno, que foi preservada”, conta o neto de Herman, Nilson Lundgren, 79.

Construída por engenheiros alemães e ingleses, a mansão recebeu referências também na decoração imponente: “Essa casa me lembra muito a Europa – a cor da madeira, os quadros. Existia uma grande colônia alemã na região, por isso já nos chamaram até de nazistas”, comenta Nilson, que mantém a casa como um grande museu. “A maioria dos móveis é a mesma da época dos meus avós, que preservamos. A mesa de madeira da sala, o telefone, as poltronas verdes, a banheira…”, completa.

Após a morte de Herman, por um grande período de tempo morava um Lundgren por andar – a matriarca, no térreo, e os filhos, cujas esposas viviam em outras residências, sozinhos. Por isso, cada andar possui um tipo de sala, dois quartos e banheiro.

Uma porção da Suécia ao norte da Grande Recife

O sueco Herman Lundgren migrou para o Brasil, fazendo paradas no Rio de Janeiro e na Bahia, antes de chegar ao Recife, em 1857. “Aqui era o porto mais importante do Brasil, um centro muito importante e, por isso, ele resolveu abrir um negócio no porto. Aproximadamente, onde hoje é o armazém 10”, conta o neto Nilson Lundgren. A loja servia aos navios, de alimentos até lavar roupas. O crescimento o tornou cônsul da Suécia em Pernambuco e o levou a novos negócios, como uma sociedade na fábrica de pólvora Pernambuco Powder Factory, no Cabo de Santo Agostinho, desativada em 2011.

Mas foi ao adquirir sua primeira fábrica de tecidos que a família começou a aumentar a influência local. “Meu tio foi procurar trabalhadores no interior da Paraíba, Pernambuco e Rio Grande do Norte. Todas as casas aqui ao redor da casa e das fábricas foram construídas para os trabalhadores. Eles precisavam de madeira para gerar energia, por isso, do Centro até Aldeia (Camaragibe) existiam várias plantações de eucalipto. Só em 1957 chegou a energia de Paulo Afonso”, afirma Nilson Lundgren sobre a influência da família no desenvolvimento histórico da própria cidade.

Em 1907, o sueco adquiriu também a Companhia de Tecidos Paulista. Antes dedicada apenas a sacos, que abasteciam o mercado do açúcar, tendo o estado como maior produtor da época, a iniciativa passou a produzir os que viriam a ser carros-chefe do negócio: chita e brim, inclusive com a primeira estamparia da região. Três anos depois, Herman morreu e o filho Frederico assumiu o negócio, que chegou a produzir oito milhões de metros de tecido por mês, segundo Nilson: “A companhia Paulista tornou-se a maior fábrica têxtil da América Latina”.

Em 1918, uma nova fábrica de tecidos foi montada pela família, desta vez na Paraíba. A Companhia de Tecidos Rio Tinto, a 450 km de João Pessoa, não se dedicava à estamparia, mas à produção de brim e tricoline. O sucesso obrigou a família a investir também no ramo de vendas do próprio tecido, o que fez nascer as Casas Pernambucanas, com mais de mil lojas em todo o país. O tino para os negócio continua circulando na família, tanto que, segundo Nilson, a Rio Tinto deve ser reativada até 2018.


Fonte: Blog Curiosa Mente

Compartilhe:

Chã de Mangabeira em xeque

Um bairro abandonado e mal tratado. É esse o raio “X” de Chã de Mangabeira, em Paulista. Como é possível ver nas imagens, os moradores denunciam que várias ruas estão sem asfalto, esgoto estourado, lixo por toda parte, insegurança, transporte público precário e o posto de saúde sem profissionais e medicamentos.

Por causa dos entulhos e água suja parada, os populares informam que muitos adoecem. Além desses problemas, o posto de saúde da família não possui um bom funcionamento. É difícil ver um carro para fazer a coleta do lixo. Os moradores estão a mercê da falta de compromisso social da gestão atual. Vamos mudar esse cenário de calamidade da nossa cidade. 02 de outubro vote consciente!

Compartilhe:

Ruas do Janga segue sem solução

Ruas do Janga segue sem soluçãoA prefeitura do Paulista cancelou os festejos juninos deste ano com o argumento de que os gastos para a realização dos eventos seriam direcionados para obras de ruas e avenidas dos bairros. Porém, isso não ocorre…

Compartilhe:

Posto de saúde em Chã Mangabeira abandonado pela atual administração


Quem necessita dos serviços do Posto de Saúde da Família de Chã de Mangabeira, em Paulista, denuncia que falta clínico geral, dentista, pediatra, além de medicamentos e vacinas essenciais para as crianças.

A unidade de saúde municipal está completamente abandonada e o atendimento cada vez mais precário.

Os resíduos gerados pelo posto são retirados pelas agentes de saúde, pois a coleta de lixo no local está comprometida. Os problemas não acabam por aí… Os moradores das proximidades do posto de saúde ainda convivem com a rua sem asfalto, repleta de lixo e de lama.

Compartilhe:

A imoralidade dos políticos do Paulista reflete na Rua Escada, no Janga

Falta de compromisso social ao extremo
A imoralidade dos políticos do Paulista reflete na Rua Escada, no Janga
O pré-candidato a vereador do Paulista Paulo Fernando (PDT-PE) confere de perto o estado de calamidade que os moradores da Rua Escada, no bairro do Janga, convivem.

A rua tem todos os problemas que podemos imaginar. Lixo acumulado, vegetação alta, sem asfalto, iluminação precária e até mesmo um animal morto entre a fiação elétrica dos postes. O local fica bem próximo a ponte do Janga.

Além desses problemas, um “campinho” que tem na comunidade está com a estrutura deteriorada, o que impossibilita o lazer.

Compartilhe:
error: